Skip to Navigation

Brasil

Comunicados, Brasil · Secretariado Permanente del Comité Confederal de la CGT · 25.10.2019

En el día de ayer, el Parlamento brasileño aprobó en la segunda vuelta la reforma de la Ley de las pensiones que prolonga la edad de jubilación para tener el 100% de la pensión cotizada, entre otras medidas. Se estima que esta Reforma afectará a más de 72 millones de personas empleadas, que antes tenían derecho a jubilarse a la edad que decidieran tras 35 años de cotización para los hombres y 30 para las mujeres. Conjuntamente, introduce un nuevo cálculo de beneficios que en todos los casos los reduce después de 40 años de cotización. Entre esta restricción de los derechos adquiridos, cabe señalar que se reduce también un derecho histórico para las mujeres, quienes se podían jubilar 5 años antes que los hombres para reconocer las dobles jornadas de trabajo que realizan, ahora este derecho se reduce en 2 años, pudiéndose jubilar 3 años antes que los hombres.

Brasil · 10.12.2016

12 de dezembro: Greve Geral para barrar o Pacote do Pezão

Fora Pezão, Renan e a PEC 55!

 

No fim da manhã e início da tarde deste histórico dia 6 de dezembro a democracia dos ricos mostrou sua verdadeira face. Enquanto o Senador Renan Calheiros (PMDB) e a mesa diretora do Senado anunciavam que não cumpririam uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), no Rio de Janeiro, Pezão e Jorge Picciani ordenavam um enfurecido ataque da PM contra a manifestação dos servidores.

 

15390964_1183174881751505_5849901029677955203_n

 

Os escândalos de corrupção não param de vir à tona. A despeito de toda a crise política, da prisão de Antony Garotinho e Sérgio Cabral, dos protestos massivos, a assembleia legislativa fluminense avança na aprovação de medidas que legalizam o que já está acontecendo. A privatização da saúde, da educação, da aposentadoria, o fim do desconto no bilhete único e o fim dos restaurantes populares atingem o conjunto de trabalhadores que precisam de políticas sociais e serviços públicos de qualidade.

Brasil · 10.12.2016

12 de dezembro: Greve Geral para barrar o Pacote do Pezão

Fora Pezão, Renan e a PEC 55!

 

No fim da manhã e início da tarde deste histórico dia 6 de dezembro a democracia dos ricos mostrou sua verdadeira face. Enquanto o Senador Renan Calheiros (PMDB) e a mesa diretora do Senado anunciavam que não cumpririam uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), no Rio de Janeiro, Pezão e Jorge Picciani ordenavam um enfurecido ataque da PM contra a manifestação dos servidores.

 

15390964_1183174881751505_5849901029677955203_n

 

Os escândalos de corrupção não param de vir à tona. A despeito de toda a crise política, da prisão de Antony Garotinho e Sérgio Cabral, dos protestos massivos, a assembleia legislativa fluminense avança na aprovação de medidas que legalizam o que já está acontecendo. A privatização da saúde, da educação, da aposentadoria, o fim do desconto no bilhete único e o fim dos restaurantes populares atingem o conjunto de trabalhadores que precisam de políticas sociais e serviços públicos de qualidade.

Brasil · 10.12.2016

12 de dezembro: Greve Geral para barrar o Pacote do Pezão

Fora Pezão, Renan e a PEC 55!

 

No fim da manhã e início da tarde deste histórico dia 6 de dezembro a democracia dos ricos mostrou sua verdadeira face. Enquanto o Senador Renan Calheiros (PMDB) e a mesa diretora do Senado anunciavam que não cumpririam uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), no Rio de Janeiro, Pezão e Jorge Picciani ordenavam um enfurecido ataque da PM contra a manifestação dos servidores.

 

15390964_1183174881751505_5849901029677955203_n

 

Os escândalos de corrupção não param de vir à tona. A despeito de toda a crise política, da prisão de Antony Garotinho e Sérgio Cabral, dos protestos massivos, a assembleia legislativa fluminense avança na aprovação de medidas que legalizam o que já está acontecendo. A privatização da saúde, da educação, da aposentadoria, o fim do desconto no bilhete único e o fim dos restaurantes populares atingem o conjunto de trabalhadores que precisam de políticas sociais e serviços públicos de qualidade.

Brasil · 09.12.2016

Centrais Sindicais se reúnem para organizar a resistência contra a Reforma da Previdência

Nenhum direito a menos

08/12/2016 

A unidade para enfrentar a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 287, da Reforma da Previdência, foi o que moveu as principais centrais sindicais a realizarem na manhã desta quinta-feira (8) uma reunião, em São Paulo, para debater estratégias de resistência e luta. Luiz Carlos Prates, o Mancha, representou a CSP-Conlutas. Estiveram presentes representantes da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) , CGBT (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil), Nova Central e CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros).

 

O anúncio da Reforma da Previdência foi feito nesta terça-feira (6). A expectativa do governo é que o texto seja aprovado no primeiro semestre do próximo ano. Por se tratar de uma mudança na Constituição, tem de passar pelos plenários da Câmara e do Senado, em duas votações, com maioria de 3/5 dos parlamentares.